sábado, 2 de novembro de 2013

CAPANEMA: terra boa do Pará (Por: Jovêncio Oliveira)



I

Capanema, Capanema! Só vendo pra acreditar, em tantas belezas, nesta linda cidade do Pará!

Quando estou longe desse lugar o meu peito começa a apertar. Morrendo de saudades assim...

Não vou ficar. Vou até lá, rever e recordar: Lá eu nasci e cresci, é bom de morar!



II

Só o amor deu forças pra começar esta cidade: Capanema do Pará. Cresceu e multiplicou

Abençoada pela mão do Criador.

O seu primeiro centenário completou!

 



III

Eu vou lá, rever este lugar!

Eu vou lá, rever este lugar!

A nossa Capanema, Capanema do Pará!

De um povo que está sempre a sorrir e a cantar!



IV

Capanema! Capanema! Terra boa do Pará, do açaí, da maniçoba e também do tacacá, também de muitas belezas

Daqui já foram eleitas muitas Misses - Pará.

Dos intermunicipais somos tricampeões, título conquistado com a nossa Seleção.

 


V

Estou aqui matando a saudade dessa linda cidade: Capanema, no Pará

Que já tem uma história de cem anos a contar; de Antônio Gerônimo até os nossos dias de alegria!



VI

Quando avistei a praça onde brincava e, os colegas com os quais estudava

Fiquei a lembrar o carinho com o qual

 Os professores nos ensinavam.

 


VII

A bela avenida que mereceu o nome de um barão, repleta de lojas, servindo a população;

Desta eu lembro quando tinha a Estação, do trem,

Que fazia a linha de Bragança à Belém.



VIII

Vi a grande Cibrasa, que tira matéria-prima deste chão; fazendo um ótimo cimento,

Usado de pequenas a grandes construções

Edificando o enriquecimento de diversas regiões!

IX

Alguém jamais irá esquecer, quando vê todos juntos confeccionando os tapetes nesse chão, refletindo o CORPUS CHRISTI.

Pois sente uma paz tão profunda, que acalma o corpo e a alma.

 


X

Todos parecem ter um pouquinho de Francisco no coração, de Capanema à Nova Assis, segue a grande multidão

Cantando e louvando, com Francisco, ao Pai da criação.

XI

A praça da matriz é de encantar, pois é uma felicidade vê aquele monumento nesta cidade.

Aqui sentimos a presença de um anjo guardião,

Que do céu chegou para a nossa proteção!

 


XII

Quando eu estou longe daqui...

Brota-me uma saudade

Com uma vontade de voltar,

E fico a cantar...




Nenhum comentário:

Postar um comentário