terça-feira, 26 de novembro de 2013

DESCRIÇÃO DO HOMEM - Por: Karol Wojtyla







Há enredos e emaranhados
Se procuras decifrá-los
Sentes que juntos a esses que deverias rasgar-te a ti mesmo
Basta-te então olhar
Procurar entender
Não te adentrar pertinaz para que não te engula o abismo
É apenas o abismo do pensar
Não é o abismo do ser
O ser não absorve, mas cresce
E lentamente se transforma em sussurro.
Este é pensamento impregnado de existência
Tu, o Universo, Deus.
Inversamente, sentes como tudo te agarra as pernas
O ser se reduz a um ponto
E o pensamento como estepe se torna árido
Simplesmente trabalha, tem confiança
E entra em ti apenas aquilo tanto que te torna consciente do teu orgulho
E isso já é humildade
E vigia, sobretudo, a vontade
O prepotente desabafo do sentimento surge apenas raramente
E a Deus não chega.

sábado, 2 de novembro de 2013

CAPANEMA: terra boa do Pará (Por: Jovêncio Oliveira)



I

Capanema, Capanema! Só vendo pra acreditar, em tantas belezas, nesta linda cidade do Pará!

Quando estou longe desse lugar o meu peito começa a apertar. Morrendo de saudades assim...

Não vou ficar. Vou até lá, rever e recordar: Lá eu nasci e cresci, é bom de morar!



II

Só o amor deu forças pra começar esta cidade: Capanema do Pará. Cresceu e multiplicou

Abençoada pela mão do Criador.

O seu primeiro centenário completou!

 



III

Eu vou lá, rever este lugar!

Eu vou lá, rever este lugar!

A nossa Capanema, Capanema do Pará!

De um povo que está sempre a sorrir e a cantar!



IV

Capanema! Capanema! Terra boa do Pará, do açaí, da maniçoba e também do tacacá, também de muitas belezas

Daqui já foram eleitas muitas Misses - Pará.

Dos intermunicipais somos tricampeões, título conquistado com a nossa Seleção.

 


V

Estou aqui matando a saudade dessa linda cidade: Capanema, no Pará

Que já tem uma história de cem anos a contar; de Antônio Gerônimo até os nossos dias de alegria!



VI

Quando avistei a praça onde brincava e, os colegas com os quais estudava

Fiquei a lembrar o carinho com o qual

 Os professores nos ensinavam.

 


VII

A bela avenida que mereceu o nome de um barão, repleta de lojas, servindo a população;

Desta eu lembro quando tinha a Estação, do trem,

Que fazia a linha de Bragança à Belém.



VIII

Vi a grande Cibrasa, que tira matéria-prima deste chão; fazendo um ótimo cimento,

Usado de pequenas a grandes construções

Edificando o enriquecimento de diversas regiões!

IX

Alguém jamais irá esquecer, quando vê todos juntos confeccionando os tapetes nesse chão, refletindo o CORPUS CHRISTI.

Pois sente uma paz tão profunda, que acalma o corpo e a alma.

 


X

Todos parecem ter um pouquinho de Francisco no coração, de Capanema à Nova Assis, segue a grande multidão

Cantando e louvando, com Francisco, ao Pai da criação.

XI

A praça da matriz é de encantar, pois é uma felicidade vê aquele monumento nesta cidade.

Aqui sentimos a presença de um anjo guardião,

Que do céu chegou para a nossa proteção!

 


XII

Quando eu estou longe daqui...

Brota-me uma saudade

Com uma vontade de voltar,

E fico a cantar...




sexta-feira, 1 de novembro de 2013

ESSE MUNDO (Por: Paulo Vasconcellos)






Que mundo é esse;
Um mundo moderno
Sei lá, parece o inferno,
Mas não é.

É o mundo da gente
Aquele mundo cão
Como diz na profecia
Irmão matando irmão

Não é esse o mundo
Que queremos
Buscamos um mundo moderno,
Que seja cheio de harmonia,
Até um mundo eterno

Que não haja tanta desgraça
Que as pessoas se respeitem mais
Senão fica tudo para trás
A alegria vira tristea
Acaba  a nobre beleza
E todos vivendo de ameaça

O mundo tem dessas coisas
Às vezes alguém
Sente vontade de desistir da vida
Que vida, malvada!
Que nada!
A vida é bela e o mundo é cruel!

Esse mundo de meu Deus
Que me fascina e me faz feliz
Um mundo que eu queria
Só pra mim
O amor está em alta?
Ou, o amor esta em baixa?
Tem tristeza e tem discórdia,
Tem desgraça e tem desamor.

Ah! Esse mundo!
Cheio de alternativas
De graça, de belas coisas,
Que nem sempre estão ao nosso alcance,
Mas sempre a nos ensinar
Os caminhos certos e os errados
Ah! que mundo louco!


VASCOCELLOS, Paulo. Esse mundo. In: ___. Poetando. Capanema: Grafimil, 2013, p.51-52.

domingo, 22 de setembro de 2013

Filme "Eu prefiro o paraíso" Parte I


Filme "Eu prefiro o paraíso" Pate II


Ir. Kelly Patrícia - Tarde te amei


Ir. Kelly Patrícia - A minha vocação é o amor


Noche Oscura - San Juan de la Cruz


Eu, etiqueta - Carlos Drummond de Andrade


Como é por Dentro Outra Pessoa (Fernando Pessoa)


Heidegger por Abujamra


terça-feira, 10 de setembro de 2013

VISITA ÀS RELÍQUIAS (VESTES LITURGICAS) DO BEATO JOÃO PAULO II, NO MUSCAP EM SÃO LUÍS

# CASULA E ESTOLA DE COR VERDE USADAS PELO BEATO JOÃO PAULO II NA SANTA MISSA CELEBRADA NO ATERRO DO BACANGA, EM SUA VISITA À CIDADE DE SÃO LUÍS – MARANHÃO, EM 14 DE OUTUBRO DE 1991. PEÇAS EXPOSTAS NO MUSEU DOS CAPUCHINHOS, NA CAPITAL MARANHENSE.



sexta-feira, 30 de agosto de 2013

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

A verdadeira causa da renúncia do Papa - Por: Daniel

  

 Tenho 23 anos e ainda não entendo muitas coisas. E há muitas coisas que não se podem entender às 8 da manhã quando te dirigem a palavra para dizer com a maior simplicidade: “Daniel, o papa se demitiu”. E eu de supetão respondi: “Demitiu?” A resposta era mais do que óbvia, “Quer dizer que renunciou, Daniel, o Papa renunciou!”
   O Papa renunciou. Assim irão acordar inúmeros jornais da manhã, assim começará o dia para a maioria. Assim, de um instante para o outro, uns quantos perderão a fé e outros muitos fortalecerão a sua. Mas este negócio de o Papa renunciar é uma dessas coisas que não se entendem.
   Eu sou católico. Um entre tantos. Destes católicos que durante sua infância foi levado à Missa, depois cresceu e foi tomado pelo tédio. Foi então que, a uma certa altura, joguei fora todas as minhas crenças e levei a Igreja junto. Porém a Igreja não é para ser levada nem por mim, nem por ninguém (nem pelo Papa). Depois a uma certa altura de minha vida, voltei a ter gosto por meu lado espiritual (sabe como é, do mesmo jeito como se fica amarrado na menina que vai à Missa, e nos guias fantásticos que chamamos de padres), e, assim, de forma quase banal e simples, continuei por um caminho pelo qual hoje eu digo: sou católico. Um entre muitos, sim, porém, mesmo assim, católico. Porém, quer você seja um doutor em teologia ou um analfabeto em escrituras (destes como existem milhões por aí), o que todo mundo sabe é que o Papa é o Papa. Odiado, amado, objeto de zombaria e de orações, o Papa é o Papa, e o Papa morre como Papa.
Por isto, quando acordei com a notícia, como outros milhões de seres humanos, nos perguntamos: por que? Por que renuncias, senhor Ratzinger? Ficou com medo? Foi consumido pela idade? Perdeu a fé? Ganhou a fé? E hoje, depois de 12 horas, acho que encontrei a resposta: o Senhor Ratzinger renunciou, porque é o que ele fez a sua vida inteira.
   É simples assim.
   O Papa renunciou a uma vida normal. Renunciou a ter uma esposa. Renunciou a ter filhos. Renunciou a ganhar um salário. Renunciou à mediocridade. Renunciou às horas de sono, em troca de horas de estudo.     Renunciou a ser um padre a mais, porém também renunciou a ser um padre especial. Renunciou a encher sua cabeça de Mozart, para enchê-la de teologia. Renunciou a chorar nos braços de seus pais. Renunciou a estar aposentado aos 85 anos, desfrutando de seus netos na comodidade de sua casa e no calor de uma lareira. Renunciou a desfrutar de seu país. Renunciou à comodidade de dias livres. Renunciou à vaidade. Renunciou a se defender contra os que o atacavam. Pois bem, para mim a coisa é óbvia: o Papa é um sujeito apegado à renúncia.
   E hoje ele volta a demonstrá-lo. Um Papa que renuncia a seu pontificado, quando sabe que a Igreja não está em suas mãos, mas na de algo ou alguém maior, parece-me um Papa sábio. Ninguém é maior que a Igreja. Nem o Papa, nem os seus sacerdotes, nem seus leigos, nem os casos de pederastia, nem os casos de misericórdia. Ninguém é maior do que ela. Porém, ser Papa a esta altura da história, é um ato de heroísmo (destes que se realizam diariamente em meu país e ninguém os nota). Eu me lembro sem dúvida da história do primeiro Papa. Um tal… Pedro. Como foi que morreu? Sim, numa cruz, crucificado como o seu mestre, só que de cabeça para baixo.
Nos dias de hoje, Ratzinger se despede da mesma maneira. Crucificado pelos meios de comunicação, crucificado pela opinião pública e crucificado por seus próprios irmãos católicos. Crucificado à sombra de alguém mais carismático. Crucificado na humildade, essa que custa tanto entender. É um mártir contemporâneo, destes a respeito dos quais inventam histórias, destes que são caluniados, destes que são acusados, e não respondem. E quando responde, a única coisa que fazem é pedir perdão. “Peço perdão por minhas faltas”. Nem mais, nem menos. Que coragem, que ser humano especial. Mesmo que eu fosse um mórmon, ateu, homossexual ou abortista, o fato de eu ver um sujeito de quem se diz tanta coisa, de quem tanta gente faz chacota e, mesmo assim, responde desta forma… este tipo de pessoas já não existe em nosso mundo.
   Vivo em um mundo onde é divertido zombar do Papa, porém é pecado mortal fazer piada de um homossexual (para depois certamente ser tachado de bruto, intolerante, fascista, direitista e nazista). Vivo num mundo onde a hipocrisia alimenta as almas de todos nós. Onde podemos julgar um sujeito que, com 85 anos, quer o melhor para a Instituição que representa. Nós, porém, vamos com tudo contra ele porque, “com que direito ele renuncia?” Claro, porque no mundo NINGUÉM renuncia a nada. Como se ninguém tivesse preguiça de ir à escola. Como se ninguém tivesse preguiça de trabalhar. Como se vivesse num mundo em que todos os senhores de 85 anos estivessem ativos e trabalhando (e ainda por cima sem ganhar dinheiro) e ajudando a multidões. Pois é.
   Pois agora eu sei, senhor Ratzinger, que vivo em um mundo que irá achá-lo muito estranho. Num mundo que não leu seus livros, nem suas encíclicas, porém que daqui a 50 anos ainda irá recordar como, com um gesto simples de humildade, um homem foi Papa e, quando viu que havia algo melhor no horizonte, decidiu afastar-se por amor à Igreja. Morra então tranquilo, senhor Ratzinger. Sem homenagens pomposas, sem corpo exibido em São Pedro, sem milhares chorando e esperando que a luz de seu quarto seja apagada. Morra então como viveu, embora fosse Papa: humilde.
   Bento XVI, muito obrigado por suas renúncias.
 
  OBS: Quero somente pedir minhas mais humildes desculpas se alguém se sentiu ofendido ou insultado com meu artigo. Considero a cada uma (mórmons, homossexuais, ateus e abortistas) como um irmão meu, nem mais nem menos. Sorriam, que vale a pena ser feliz.

Texto original:
http://oehd.wordpress.com/2013/02/12/siempre-renuncias-benedicto/

Disponível em: <blog.cancaonova.com/tiba/.../a-verdadeira-causa-da-renuncia-do-papa.>. Acesso em 25 fev.2013. Tradução: Pe. Paulo Ricardo.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

AS 15 ORAÇÕES DE SANTA BRÍGIDA



        
(REVELADAS POR JESUS À SANTA BRIGIDA NA GREJA DE SÃO PAULO EM ROMA)

         Estas orações foram APROVADAS pelo PAPA PIO IX em 31/05/1862, que as reconheceu como autênticas e de grande proveito para as almas.


        
AS PROMESSAS DE JESUS:

         Como já há muito tempo Santa Brígida desejasse saber o número de golpes que JESUS levara durante a Sua dolorosíssima Paixão. Um dia enquanto rezava na Igreja de são Paulo em Roma apareceu-lhe o amoroso, misericordioso e fiel SENHOR dizendo:
 
         “Recebi em todo o Meu Corpo 5.480 golpes. Se desejardes honrar as chagas que eles ME produziram, mediante uma veneração particular, deveis recitar 15 Pai Nossos, e 15 Ave Marias, acrescentando as seguintes orações, durante um ano inteiro; quando o ano terminar, tereis prestado homenagem a cada uma das Minhas Chagas. Quem recitar estas orações durante um ano inteiro conseguirá livrar do Purgatório 15 almas de sua família, 15 justos também de sua linhagem serão conservados em graça e 15 pecadores de sua família serão convertidos”.

         A pessoa que as recitar será elevada ao mais eminente grau de perfeição e 15 dias antes da sua morte EU lhe darei meu Precioso Corpo, para que ela seja livre da fome eterna. EU lhe darei também de beber o Meu Precioso Sangue, afim de que não padeça sede eternamente e 15 dias antes da morte ela experimentará uma profunda contrição de todos os seus pecados e um perfeito conhecimento deles. Diante dela colocarei o sinal da Minha Cruz vitoriosa como socorro e defesa contra os embustes dos seus inimigos.

         Antes da sua morte, EU virei em companhia de Minha muito cara e bem amada Mãe, para receber a sua alma e conduzi-la às alegrias eternas. E tendo-a levado até lá, EU lhe darei a beber um trago singular da fonte da Minha Divindade, o que não farei, absolutamente, a outros que não tenham recitado as Minhas Orações.

         Aquele que disser estas Orações pode estar seguro de ser associado ao supremo coro dos Anjos e todo aquele que as ensinar a alguém, terá assegurado para sempre sua felicidade e seus méritos. Sim, eles serão estáveis e durarão perpetuamente.

         No lugar onde se encontrarem e onde forem recitadas essas Orações DEUS estará também presente com Suas Graças”.

         Todos esses privilégios foram prometidos a Santa Brígida por Nosso Senhor Crucificado com a condição de que as orações fossem recitadas diariamente. São, igualmente, prometidas a todos os que as recitarem, devotamente, durante um ano inteiro.

PERGUNTA : É necessário recitá-las sem interrupção?

RESPOSTA : Faltar o menos possível. Todavia devemos recuperá-las, se por força maior não as pudermos rezar em um dia. Devemos recitá-las 365 vezes dentro de um ano, com devoção, esforçando-nos para penetrar no sentido profundo das palavras que vamos pronunciando.

1. É bom rezar sempre a intenção antes de cada oração;

2. Não precisa ler este cabeçalho com as promessas de JESUS todos os dias;

3. As intenções citadas para cada uma das orações, são opcionais.

 
AS ORAÇÕES

         Sinal da Cruz - Oração: Vinde ESPÍRITO SANTO...!

            1ª ORAÇÃO: Pelos Sacerdotes, freiras e religiosos militantes!

         Ó JESUS CRISTO, doçura eterna para aqueles que vos amam, alegria que ultrapassa todo entendimento e todo o desejo, esperança de salvação dos pecadores, que declarastes não terdes maior contentamento do que estar entre os homens, até o ponto de assumir a nossa natureza, na plenitude dos tempos, por amor deles. Lembrai-Vos dos sofrimentos, desde o primeiro instante da Vossa Conceição e sobretudo durante a Vossa Santa Paixão, assim como havia sido decretado e estabelecido desde toda a eternidade na mente divina. Lembrai-Vos Senhor, que, celebrando a Ceia com os Vossos discípulos, depois de lhes haverdes lavado os pés, deste-lhes o Vosso Sagrado Corpo e precioso Sangue e, consolando-os docemente lhes predissestes a Vossa Paixão iminente.
         Lembrai-Vos da tristeza e da amargura que experimentastes em Vossa Alma como o testemunhastes Vós mesmo por estas palavras: “a Minha Alma está triste até a morte”. Lembrai-Vos, Senhor, dos temores, angustias e dores que suportastes em Vosso Corpo delicado, antes do suplício da Cruz, quando, depois de ter rezado por três vezes, derramado um suor de Sangue, fostes traído por Judas Vosso discípulo, preso pela nação que escolhestes, acusado por testemunhas falsas, injustamente julgado por três juizes, na flor da Vossa juventude e no tempo solene da Páscoa. Lembrai-Vos que fostes despojado de Vossas vestes e revestido com as vestes da irrisão, que Vos velaram os olhos e a face, que Vos deram bofetadas, que Vos coroaram de espinhos, que Vos puseram uma cana na mão e que, atado a uma coluna, fostes despedaçado por golpes e acabrunhado de afrontas e ultrajes. Em memória destas penas e dores que suportastes antes da Vossa Paixão sobre a Cruz, concedei-me, antes da morte, uma verdadeira contrição, a oportunidade de me confessar com pureza de intenção e sinceridade absoluta, uma adequada satisfação e a remissão de todos os meus pecados. Assim seja!
            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         2ª ORAÇÃO: Pelos trabalhadores em Geral.

         Ó JESUS CRISTO, verdadeira liberdade dos Anjos, paraíso de delícias, lembrai-Vos do peso acabrunhador de tristezas que suportastes, quando Vossos inimigos, quais leões furiosos, Vos cercaram e, por meio de mil injúrias, escarros, bofetadas, arranhões e outros inauditos suplícios Vos atormentaram a porfia.
Em consideração destes insultos e destes tormentos, eu Vos suplico, ó meu Salvador, que Vos digneis libertar-me dos meus inimigos, visíveis e invisíveis e fazer-me chegar, com o Vosso auxílio a perfeição da salvação eterna. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         3ª ORAÇÃO: Pelos presos.

         Ó JESUS, Criador do Céu e da terra, a quem coisa alguma pode conter ou limitar, Vós que tudo abarcais e tendes tudo sob o Vosso poder, lembrai-Vos da dor, repleta de amargura, que experimentastes quando os soldados, pregando na Cruz Vossas Sagradas mãos e Vossos pés tão delicados, transpassaram-nos com grandes e rombudos cravos e não Vos encontrando no estado em que teriam desejado, para dar largas a sua cólera, dilataram as Vossas Chagas, exacerbando assim as Vossas dores. Depois, por uma crueldade inaudita, Vos estenderam sobre a Cruz e Vos viraram de todos os lados, deslocando, assim, os Vossos membros. Eu vos suplico, pela lembrança desta dor que suportastes na Cruz, com tanta santidade e mansidão, que Vos digneis conceder-me o Vosso Temor e o Vosso Amor. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         4ª ORAÇÃO: Pelos doentes.

         Ó JESUS, médico celeste, que fostes elevado na Cruz afim de curar as nossas chagas por meio das Vossas, lembrai-Vos do abatimento em que Vos encontrastes e das contusões que Vos infligiram em Vossos Sagrados membros, dos quais nenhum permaneceu em seu lugar, de tal modo que dor alguma poderia ser comparada a Vossa. Da planta dos pés até o alto da cabeça, nenhuma parte do Vosso Corpo esteve isenta de tormentos e, entretanto esquecido dos Vossos sofrimentos, não Vos cansastes de suplicar a Vosso PAI, pelos inimigos que Vos cercavam, dizendo-LHE: “PAI, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem”. Por esta grande misericórdia e em memória desta dor, fazei com que a lembrança da Vossa Paixão, tão impregnada de amargura, opere em mim uma perfeita contrição e a remissão de todos os meus pecados. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

            5ª ORAÇÃO: Pelos funcionários dos hospitais.

         Ó JESUS, espelho do esplendor eterno. Lembrai-Vos da tristeza que sentistes, quando, contemplando a luz da Vossa Divindade a predestinação daqueles que deveriam ser salvos pelos méritos da Vossa santa paixão, contemplastes, ao mesmo tempo, a multidão dos réprobos, que deveriam ser condenados por causa de seus pecados e lastimastes, amargamente, a sorte destes infelizes pecadores, perdidos e desesperados. Por este abismo de compaixão e de piedade e, principalmente, pela bondade que manifestastes ao bom ladrão dizendo-lhe: “Hoje mesmo estarás Comigo no Paraíso”, eu Vos suplico ó Doce Jesus, que na hora da minha morte useis de misericórdia para comigo. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         6ª. ORAÇÃO: Pelas famílias.

         Ó JESUS, Rei amável e de todo desejável, lembrai-vos da dor que experimentastes quando, nu e como um miserável, pregado e levantado na Cruz, fostes abandonado por todos os vossos parentes e amigos, com exceção de Vossa mãe bem amada, que permaneceu, em companhia de São João, muito fielmente junto de Vós na agonia, lembrai-Vos que os entregastes um ao outro dizendo: “Mulher eis ai o teu filho”! e a João: “Eis ai a tua Mãe!” Eu vos suplico, ó meu Salvador, pela espada de dor que então transpassou a alma de Vossa Santa Mãe, que tenhais compaixão de mim, em todas as minhas angustias e tribulações, tanto corporais como espirituais e que Vos digneis assistir-me nas provações que me sobrevierem, sobretudo na hora da minha morte. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         7ª ORAÇÃO: Contra a luxúria.

         Ó JESUS, fonte inexaurível de piedade, que por uma profunda ternura de amor, dissestes sobre a Cruz: “Tenho sede!”, mas sede de salvação do gênero humano. Eu Vos suplico, ó meu Salvador, que Vos digneis estimular o desejo que meu coração experimenta de tender a perfeição em todas as minhas obras e extinguir, por completo, em mim, a concupiscência carnal e o ardor dos desejos mundanos. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         8ª ORAÇÃO: Pelas crianças e jovens.

         Ó JESUS, doçura dos corações, suavidade dos espíritos, pelo amargo sabor do fel e do vinagre que provastes sobre a Cruz por amor de todos nós, concedei-me a graça de receber dignamente o Vosso Corpo e Vosso Preciosíssimo Sangue, durante toda a minha vida e, na hora da minha morte afim de que sirvam de remédio e de consolo para minha alma. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         9ª ORAÇÃO: Pelos agonizantes espirituais.

         Ó JESUS, virtude real, alegria do espírito, lembrai-Vos da dor que suportastes, quando, mergulhado na amargura, ao sentir aproximar-se a morte, insultado e ultrajado pelos homens, julgastes haver sido abandonado por Vosso PAI dizendo: “Meu DEUS, Meu DEUS, porque Me abandonastes?” Por esta angustia eu Vos suplico ó meu Salvador, que não me abandoneis nas aflições e nas dores da morte. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         10ª ORAÇÃO: Pelos sofredores em geral.

         Ó JESUS, que sois em todas as coisas começo e fim, vida e virtude, lembrai-Vos de que por nós fostes mergulhado num abismo de dores, da planta dos pés até o alto da cabeça. Em consideração da extensão das Vossas Chagas, ensinai-me a guardar os Vossos Mandamentos, mediante uma sincera caridade, mandamentos estes que são caminhos espaçoso e agradável para aqueles que Vos amam. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         11ª ORAÇÃO: Pelos pecadores de todo o mundo.

         Ó JESUS, profundíssimo abismo de misericórdia, suplico-Vos, em memória de Vossas Chagas, que penetraram até a medula dos vossos ossos e atingiram até as vossas entranhas, que vos digneis afastar esse(a) pobre pecador(a) do lodaçal de ofensas em que está submerso(a) conduzindo- o(a) para longe do pecado. Suplico-Vos também, esconder-me de Vossa Face irritada, ocultando-me dentro de Vossas Chagas, até que a Vossa cólera e a Vossa justa indignação tenham passado. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         12ª ORAÇÃO: Por todas as Igrejas.

         Ó JESUS, espelho de verdade, sinal de unidade, laço de caridade, lembrai-Vos dos inumeráveis ferimentos que recebestes, desde a cabeça até os pés, ao ponto de ficardes dilacerado e coberto pela púrpura do Vosso Sangue adorável. Ó quão grande e universal foi a dor que sofrestes em Vossa Carne virginal por nosso amor! Ó Dulcíssimo JESUS, que poderíeis fazer por nós que não o houvésseis feito? Eu vos suplico, ó meu Salvador, que vos digneis imprimir, com o Vosso Precioso Sangue, todas as Vossas chagas em meu coração, afim de que eu relembre, sem cessar, as Vossas Dores e o Vosso Amor. Que pela fiel lembrança da Vossa Paixão, o fruto dos Vossos Sofrimentos seja renovado em mim, cada dia mais, até que eu me encontre, finalmente, Convosco, que sois o tesouro de todos os bens e a fonte de todas as alegrias. Ó Dulcíssimo JESUS, concedei-me poder gozar de semelhante ventura na vida eterna. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         13ª ORAÇÃO: Pelos profetas atuais.

         Ó JESUS, fortíssimo Leão, Rei imortal e invencível, lembrai-Vos da dor que vos acabrunhou quando sentistes esgotadas todas as vossas forças, tanto do Coração como do Corpo e inclinastes a cabeça dizendo: “Tudo está consumado!” Por esta angústia e por esta dor, eu Vos suplico, Senhor JESUS, que tenhais piedade de mim, quando soar a minha última hora e minha alma estiver amargurada e o meu espírito cheio de aflição. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         14ª ORAÇÃO: Pelos políticos e pelos governantes.

         Ó JESUS, Filho Único do PAI, esplendor e imagem da sua substância, lembrai-Vos da humilde recomendação que LHE dirigistes dizendo: “Meu PAI, em Vossas Mãos entrego o Meu Espírito!” Depois expirastes, estando Vosso Corpo despedaçado, Vosso Coração transpassado e as entranhas da Vossa Misericórdia abertas para nos resgatar. Por esta preciosa morte eu Vos suplico, ó Rei dos Santos, que me deis força e me socorrais, para resistir ao demônio, a carne a ao sangue, afim de que, estando morto(a) para o mundo, eu possa viver somente para Vós. Na hora da morte, recebei, eu Vos peço, minha alma peregrina e exilada que retorna para Vós. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         15ª ORAÇÃO: Pelo Papa.

        Ó JESUS, vide verdadeira e fecunda, lembrai-Vos da abundante efusão de Sangue, que tão generosamente derramastes de Vosso Sagrado Corpo, assim como a uva é triturada no lagar. Do Vosso lado aberto pela lança de um dos soldados, jorraram Sangue e água, de tal modo que não retivestes uma gota sequer. E, enfim, como um ramalhete de mirra elevado na Cruz, Vossa Carne delicada se aniquilou, feneceu o humor de Vossas entranhas e secou a medula dos Vossos ossos. Por esta tão amarga Paixão e pela efusão de Vosso precioso Sangue, eu vos suplico, ó Bom JESUS, que recebais minha alma quando eu estiver na agonia. Assim seja!

            Pai Nosso... e Ave Maria ...

         ORAÇÃO FINAL:

         Ó doce JESUS, vulnerai o meu coração, afim de que lágrimas de arrependimento, de compunção e de amor, noite e dia me sirvam de alimento. Convertei-me inteiramente a Vós. Que o meu coração Vos sirva de perpétua habitação; Que a minha conduta vos seja agradável e que o fim da minha vida seja de tal modo edificante que eu possa ser admitido no Vosso Paraíso, onde, com os vossos Santos, hei de vos louvar para sempre. Assim seja!

         CONSAGRAÇÃO DIÁRIA À NOSSA SENHORA:

         Ó Santa Mãe Dolorosa de DEUS, ó Virgem Dulcíssima, eu Vos ofereço o meu coração afim de que o conserveis intacto como o Vosso Coração Imaculado.
Eu Vos ofereço a minha inteligência, para que ela conceba apenas pensamentos de paz e de bondade, de pureza e verdade.
         Eu Vos ofereço a minha vontade, para que ela se mantenha viva e generosa ao serviço de DEUS.
         Eu vos ofereço meu trabalho, minhas dores, meus sofrimentos, minhas angustias, minhas tribulações e minhas lágrimas, no meu presente e meu futuro, para serem apresentadas por Vós ao Vosso Divino FILHO, para purificação da minha vida.
         Mãe Compassiva, eu me refugio em Vosso Coração Imaculado, para acalmar as dolorosas palpitações de minhas tentações, de minha aridez, de minha indiferença e das minha negligencias.
Escutai-me ó Mãe, guiai-me, sustentai-me e defendei-me, contra todos os perigos da alma e do corpo, agora e por toda a eternidade. Assim seja!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

AVE POEMA – Por: Stélio Vasconcelos


AVE POEMA – Por: Stélio Vasconcelos





Meu poema voa,
como pássaro entoando cânticos.
Feito ave migra
sobrevoando mares
com cantares românticos.
Na poesia singela
flui com elegante arte
desfilando beleza e graça
do fundo d’alma da inspiração
que na harmônia da canção,
chega alegre rimando
e pousa leve
na soleira da tua janela
causando emoção
qual fragrância de rosas
exalando a felicidade.


VASCONCELOS, Stélio. Ave poema. In: ____. Asas à poesia. Capanema: Darimpress, 2008, p. 19.