terça-feira, 27 de novembro de 2012

O FENÔMENO DO CORPO HUMANO NA ÉTICA DO AMOR DE KAROL WOJTYŁA (Parte 1)





JONAS MATHEUS SOUSA DA SILVA













O FENÔMENO DO CORPO HUMANO NA ÉTICA DO AMOR DE KAROL WOJTYŁA




Monografia apresentada ao Instituto de Estudos Superiores do Maranhão, para a obtenção do grau de Licenciatura plena em Filosofia.

Orientador: Prof. Ms. José Luís Leitão.








São Luís
2012


JONAS MATHEUS SOUSA DA SILVA



O FENÔMENO DO CORPO HUMANO NA ÉTICA DO AMOR DE KAROL WOJTYŁA




Monografia apresentada ao Instituto de Estudos Superiores do Maranhão, para a obtenção do grau de Licenciatura plena em Filosofia.


Aprovada em: 20 de novembro de  2012


BANCA EXAMINADORA



Prof. José Luís Leitão (orientador)
Mestre em Filosofia
Pontifícia Universidade Gregoriana - Roma


Prof. José Assunção Fernandes Leite
Doutor em Filosofia
Pontifícia Universidade Católica - São Paulo


Prof. Ediel dos Anjos Araujo
Especialista em Filosofia Política
Universidade Federal do Maranhão





























Aos meus amados pais, Jovêncio Oliveira da Silva e Antônia do Carmo Sousa da Silva, testemunhas do amor cristão na vida matrimonial, familiar e comunitária.



AGRADECIMENTOS


Agradecer constitui um ato da pessoa que reconhece a importância devida à alteridade, bem como o valor da comunidade, para que a pessoa humana agradecida exista participando conscientemente com suas aptidões e deseje sempre o bem de todas as pessoas humanas criadas à imagem e semelhança de Deus, que é Amor.
Nesta vereda de gratidão, agradeço de todo o coração à Santíssima Trindade que tem no centro de seu supremo amor, o meu ser e existir. À santa Mãe de Deus, agradeço, pela sua constante proteção espiritual sobre a minha vida; também a São Francisco e à Santa Clara, pela herança espiritual na via da santidade que legaram à nossa família franciscana; ao beato João Paulo II, de modo especial, pelo seu eficaz amor à Cristo e à Igreja expresso no serviço à promoção da dignidade de toda a pessoa humana.
Agradeço aos Frades Capuchinhos, em especial à Província Nossa Senhora do Carmo, pela acolhida no seu percurso de formação inicial na vida religiosa. Deste modo agradeço aos meus formadores deste caminho formativo: Frei Hernane costa, Frei Willian Alves, Frei Eldi Pereira, Frei Ribamar Gomes, Frei Deusivan Santos e Frei José Luís Leitão. Estendo esta palavra de gratidão aos meus orientadores espirituais, neste período: Frei Luis Carlos Moraes, Frei Pedro Antônio, Frei Silvio Almeida, Frei Lázaro Nunes, Padre Luís Carline, Irmã Maria Elisabete da Trindade (carmelita), Padre Fausto Bereta e Padre Ribamar Xavier.
Meu cordial agradecimento à minha amada família: meus pais, Jovêncio Oliveira e Antônia do Carmo, meus irmãos: Jorbia Cecília – com seu esposo Ricardo Nogueira – e Jones Tiago; pela profunda vivência da fé e da caridade. Agradeço aos meus avós maternos (Otávio e Osmarina Sousa) e aos avós paternos, in memoriam (Sebastião e Alice Silva), também aos tios e primos (em particular às primas Luciana e Zarife, com a tia Maria Rodrigues, que me dão um profundo auxílio familiar e espiritual, neste momento de conclusão da etapa filosófica); aos meus familiares agradeço a ternura, a afinidade e a consideração.
De modo muito especial, agradeço à “mana”- Luciane Oliveira Moraes, pelo mútuo cultivo de nossa amizade fraterna, dada no diálogo franco, na ternura, no amor de predileção e na compartilha dos saberes místico, filosófico e poético. Sou grato aos seus pais, Agnaldo e Lucirene Moraes e ao seu irmão Ginaldo Moraes, por terem me acolhido de maneira muito caritativa como um membro de sua família. Que o Senhor Deus os recompense sempre!
Expresso minha fraterna gratidão aos co-irmãos de turma que no cotidiano do processo formativo, partilham comunitariamente o perdão e a festa, na busca do bem comum. Especialmente ao Frei Wilton Meira, e aos irmãos que conviveram conosco desde o noviciado: Roberto Fortaleza, Leonardo Ribeiro, Rudá Melo, Leandro Raul e Vilmar Santos, e não mais militam na vida capuchinha. Este agradecimento se estende aos co-irmãos professos simples com os quais convivi na etapa filosófica, de maneira particular, cito os conterrâneos capanemenses: Frei Willyams Quadros, Frei José Danilo e Frei Antônio Alves. Agradeço aos co-irmãos sacerdotes: Frei José Leitão, Frei Luís Rota, Frei Antônio Macapuna, Frei Cláudio Marcio e Frei Ângelo Falomi, pela responsabilidade formativa e espiritual para com a nossa fraternidade.
Dou minha franciscana gratidão aos irmãos da Ordem Franciscana Secular da Fraternidade Nossa Senhora dos Capuchinhos, na Vila dos Frades – Ana Muniz (que inclusive me prestou sua ajuda avaliativa para o bom êxito desta monografia), Rosário Muniz, Lídia, Sebastiana, Isenaide, Maria do Carmo, Domingos, Jaqueline, Valdo e Nunes – com os quais compartilhei a vida franciscana. Estendo o meu agradecimento aos Freis: Haroldo Britto, José Domingos e Deybson Farias, pela convivência pastoral na animação vocacional da nossa província. Meu agradecimento aos Freis: Ribamar Gomes e Silvio Almeida pela doação dos livros filosóficos de autoria do beato Karol Wojtyła.
Agradeço ao professor orientador, Frei José Luís Leitão (mestre), pela responsabilidade intelectual, pelo incentivo e pela dedicada correção lógica e gramatical do texto monográfico. Distendo minha gratidão aos professores convidados para integrar a banca examinadora, os professores: José Fernandes (doutor) e  Ediel dos Anjos Araujo (especialista). Do mesmo modo, agradeço à professora Marluce Coelho, pelo valoroso incentivo. Agradeço profundamente aos professores e às professoras que nos lecionaram as disciplinas do Curso de licenciatura plena em filosofia, do IESMA, no triênio 2010-2012; particularmente ao casal de professores Raimundo e Carmem Portela, que representam a presença da família Cristã no IESMA e aos funcionários da instituição: Claudia, Adriana,  Márcio, Rita, Orlando, Sebastião, Professora Lúcia, dona Deca, Maidson, entre outros. Meu abraço de gratidão aos colegas da nossa turma de filosofia “Cogito ergo sum”, pelo companheirismo e pelo respeito; em especial, aos colegas Elinaldo e Felipe Oliveira que também trabalham em suas monografias a filosofia de nosso admirado Karol Wojtyła.
Minha gratidão, a todos os que amistosamente se tornaram agentes de imprescindível auxílio para que bem concluísse essa jornada acadêmica, especialmente: dona Glória Loureiro, Joina Maria, Railton, Lene,  Nailson, Carol, Régis, Erika, Igor e todos os membros do grupo Ágape do Radional – paróquia do Anil. Agradeço à dona Denise e sua filha Larissa, pelo amadrinhamento na formatura. Cordialmente agradeço a amizade dispensada por: Frei Manoel Basílio, Wilton Junior, Alex Bonfim, Antônio Jhones, Irmão Angélico, Lucileide Lima, Romário Avelino, Claudnei Reis, Lilia Raquel, Jonata, Irmã Silvana Vargas, Irmã Mirian, Irmã Beyse, Paulo Vasconcelos, Silvia Antônia, Camila Gomes, Erwellen, Elizamar Soares, Sr. Domingos com dona Joana, Augusto e Frei Renato, Frei Pablo Aguiar, Frei Odinei Mota, Frei Claudson Menezes, Frei Raimundo Edson, Frei Paulo Araújo (da Capoeira), Frei Elias e Frei Erick, Sr. Edilson com dona Malvina, Sr. Miguel e Sr. Valdir. Estendo ainda minha gratidão aos trabalhadores do nosso convento, As Sra.s. Conceição e Kely e os Sr.s. Nino e Givaldo, que no cotidiano de nossa fraternidade dão sua indispensável contribuição para o bem da mesma.
Faço ardentes votos, que o Senhor Cristo recompense a todos, orientando-os na fé, pela via do amor oblativo, rumando para a real construção do bem comum, prelúdio do Reino de Deus neste mundo.









































“É o amor que converte os corações e dá a paz”.

Beato João Paulo II (Karol Wojtyła)




RESUMO


Evidencia a dignidade pessoal do corpo humano, integrado nos atos pessoais, através do pensamento antropológico e ético de Karol Wojtyła. Mostra a sua biografia intelectual com o seu itinerário poético, dramatúrgico e filosófico sempre ligado à promoção da cultura polonesa e à sua vida clerical na igreja católica. Considera a ética utilitarista promovida pelo domínio mercadológico e a redução da visão acerca do ser humano à materialidade corporal. Aborda a confrontação de Wojtyła com a ética de Max Scheler e o pensamento tomista, resultando na síntese de ambos. Ressalta a ética wojtyliana do amor entre homem e mulher orientada pela norma personalista, nas produções teatral, filosófica e teológica de nosso filósofo. Expõe a dignidade pessoal do corpo humano na integração da reatividade somática na vontade humana, quando orientada pela norma personalista, que dar base à família e à comunidade humana.


Palavras-chave: Karol Wojtyła. Ética. Homem e mulher. Norma personalista. Corpo humano.
















RIASSUNTO


Pone in evidenza la dignità  personale del corpo umano negli atti personali attraverso il pensiero antropologico ed etico di Karol Wojtyła. Mostra la sua biografia intellettuale con il suo itinerario poetico, drammaturgico e filosofico sempre legato alla promozione della cultura polacca e alla vita clericale nella chiesa cattolica. Considera l’etica utilitarista promossa dal dominio mercadologico e la riduzione della visione sull’essere umano alla materialità corporale. Abborda il confronto di Wojtyła con l’etica di Max Scheler ed il pensiero tomista, risultando nella sintese di entrambi. Risalta l’etica wojtyliana dell’amore tra uomo e donna verso la norma personalista nelle produzione teatrale, filosofica e teologica del nostro filosofo. Espone la dignità personale del corpo umano nella integrazione di attività somatica nella volontà umana quando orientata dalla norma personalista che dà basi alla famiglia e alla comunità umana.


Parole-chiave: Karol Wojtyła. Etica. Uomo e Donna. Norma personalista. Corpo umano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário