sábado, 5 de maio de 2012

SONETO DE ENCONTRO - Por: Luciane Oliveira Moraes



No alvorecer do dia, as aves do céu voavam
Soando seus cantos delicados.
Docemente, meus cílios se descerravam
Atentos a contemplarem o princípio dos amados.

De repente, num descompasso, as cores se transformaram
O vento cessava e meu semblante: agitado.
Percebi as mudanças e quanto me incomodavam!
Escuridão! O sumo espiritual já abalado.

Ao encontro do Eterno, o mar me levava.
Descidas extremas, subidas abstratas, ondas meditativas!
Logo me aproximava.

E já, depressa, o mundo principiava.
Enquanto distraída, por entre altezas contemplativas
Ele, lá, se encontrava.

(Disponível em: http://luhiluminada.blogspot.com.br/2012/04/soneto-de-encontro.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário