terça-feira, 22 de maio de 2012

A MUSA E A POESIA – Por : Enderson Pereira




      Se me perguntassem o que eu sinto por ela, eu não saberia explicar. Pois, é algo que se tornou tão forte em minh’alma que nem mesmo o número de estrelas que existem no firmamento do céu, nem todos os dialetos que há no mundo, nem a imensidão do mar, nem o mais belo poema já escrito por um poeta, seriam capazes de descrevê-lo ou de entendê-lo. Destarte, não é algo que eu possa dizer: ‘agora não quero mais!’. E ele desaparece. Não sei se é só paixão, posto que, só o amor dura para sempre. E, se for amor, que seja chama divina, a qual não se consome e não tem fim!



A mais bela entre as Musas gregas!
Nítido olhar de uma deusa do amor
Arrastando-me e envolvendo-me!



Canções não chegam a explicá-la,
A poesia também não.
Raro corpo composto de sensibilidade!
Oh, Eros! Nem mesmo o que nela é sensível,
Legado que, o sensível é reflexo da ideia,
Instiga-me a não acreditar que ela é perfeita!
Notado que, ela é reflexo de sua alma
E essa, por essência, está ligada à verdade, ao belo e ao bom.


Disponível em: http://www.webartigos.com/artigos/a-musa-e-a-poesia/79647/

Nenhum comentário:

Postar um comentário